Varejo

Tudo o que você precisa saber

Olá, seja muito bem-vindo a melhor e mais completa página sobre o varejo do Brasil!

Aqui você vai encontrar tudo o que você precisa saber sobre o comércio varejista no país, incluindo fatores históricos, obrigatoriedades e documentos fiscais, além da tecnologia que já está virando realidade em muitos estabelecimentos do varejo.

Clicando nos itens abaixo você será direcionado automaticamente para o assunto do seu interesse.

Então se você é varejista, conhece alguém que seja, sonha em ter um comércio ou até mesmo só quer saber mais sobre esse mundo incrível das vendas, é só continuar lendo e se encantar!

O que é Varejo?

Podemos definir varejo como a ação de venda diretamente para um consumidor final, vamos exemplificar.

Na prática, esse tipo de ação acontece em estabelecimentos como: supermercados e hipermercados, farmácias, concessionárias de veículos, lojas de vestuários, lojas de materiais de construção, lojas de móveis e decoração, postos de gasolina, lojas de eletroeletrônicos, livrarias, e vários outros locais que fazem parte do comércio varejista, podendo haver ou não o intermédio de um vendedor para auxiliar na compra, ou de um atendente de caixa que irá lhe passar o valor final, mas isso já está mudando.

Se observarmos ao nosso redor conseguiremos perceber que esse é um dos setores mais segmentados do nosso país, porque o mercado varejista engloba desde o pequeno empresário até multinacionais. Desde o pequeno feirante, até os maiores mercados com filiais em todo o mundo e em expansão contínua.

Atacado x Varejo

A diferença básica entre o atacado e o varejo é que no mercado atacadista os produtos são vendidos em grandes quantidades para pessoas que estão no comando de estabelecimento comerciais e até mesmo fábricas, já no varejo, os produtos são vendidos em menor quantidade direto para o último comprador.

Mas vejamos, para se tornar o que o mercado varejista é atualmente, muita coisa aconteceu e nós precisamos falar do passado para entender o presente e analisar o que pode resultar no futuro.

Como tudo começou...

As atividades de troca, compra e venda começaram muito antes do que a ideia de existir uma moeda de compra exatamente como é hoje. Inclusive, os primeiros sinais de comercialização de produtos foi através de trocas. Quando os seres humanos buscavam suprir suas necessidades básicas de alimentação e vestimenta trocavam produtos como carne de caça, couro e outros produtos produzidos por eles mesmos.

Com a popularização cada vez maior desses estilo de troca e o aperfeiçoamento da produção de matéria-prima é que foram criadas as moedas de troca, o que nós chamamos hoje em dia de dinheiro. Essas atividades de compra e venda através de uma moeda específica começou a acontecer por volta dos anos de 1700 no mundo.

No Brasil, os primeiros sinais de comércio apareceram no litoral, com as primeiras populações sendo formadas e com a importação de escravos e exportação de bens, como o açúcar, o pau-Brasil e posteriormente de pedras preciosas.

E não da pra falar sobre comercialização e exportação no Brasil sem falarmos do café. Ele que foi um divisor de águas e que trouxe muitas mudanças para o país, como a substituição do trabalho escravo pelo assalariado, permitindo que os trabalhadores tivessem o poder de compra, e isso só aconteceu em meados de 1870.

Foi a partir do século XIX, com a Revolução Industrial, que novos métodos começaram a aparecer como mercado comercial, e varejo. Foi neste momento também que as indústrias se viram na necessidade de acompanhar o mercado.

Na terra da Torre Eiffel, Paris, na França, em meados dos anos de 1850 que apareceu a primeira loja de departamentos, focada em agrupar os produtos numa mesma categoria, a loja foi chamada de Bon Marchè.

Se perguntar aos seus pais ou ao seus avós como eram feitas as vendas quando eles eram mais jovens, provavelmente eles vão te contar que existia um balcão e um atendente, e que os produtos comercializados alí, tinham acesso restrito ao consumidor. Nessa época só o funcionário, muitas vezes o dono do estabelecimento ficava atrás do balcão e tinha acesso aos produtos.

Já os Estados Unidos foi o país pioneiro no que diz respeito ao autoatendimento, ou auto-serviço, o famoso “pague, pague e leve”. Isso acabou permitindo que a pessoa faça suas compras sem contato algum com funcionários quando não é necessário. E isto tem sido cada vez mais aprimorado.

Inúmeras novidades foram surgindo ao longo do tempo no varejo, e isso foi acontecendo através da inovação e coragem de arriscar que algumas lojas tiveram, e que acabaram inspirando o mundo todo por lançar tendências nesse mercado. Tendências essas que viraram febre pelo mundo todo, e essas novidades no varejo chegaram no Brasil por volta de 1964.

Linha do tempo do Varejo no Brasil

Nós fizemos uma linha do tempo bem legal pra você conseguir visualizar e entender como era em cada época e também já preparamos tudo para mostrar pra você o que o futuro promete.

1500 à 1530
Colonização do Brasil, quando os portugueses fizeram índios de escravos para extrair as riquezas naturais do Brasil e as vendiam como matéria-prima e como diversos produtos.
1500 à 1530
1649
Fundação das Companhia Geral do Comércio do Brasil. Antes disso só existiam locais que vendiam produtos importados.
1649
1808
Surgimento das primeiras lojas de luxo do país com a chegada da família real ao Rio de Janeiro.
1808
1884 à 1959
Cerca de 5 milhões de imigrantes chegam ao país para colaborar no surgimento de vendedores ambulantes, feiras livres e armazéns.
1884 à 1959
1900 à 1930
Início do processo de industrialização no Brasil.
1900 à 1930
1908
Ano de inauguração do primeiro magazine brasileiro: as lojas Pernambucanas.
1908
1920
Implantadas as “feiras livres” em São Paulo , estruturas de distribuição que permitiam o acesso mais barato aos gêneros de primeira necessidade, reduzindo o número de intermediários.
1920
1922
Primeira loja virtual do país lançada pelo Magazine Luiza.
1922
1940
Surge a Sear, em São Paulo, uma, loja de departamentos com lanchonete e estacionamento, pioneira do país na utilização do self-selection, o auto-serviço em que o cliente escolhe a mercadoria.
1940
1953
Ano de surgimento dos primeiros supermercados brasileiros no modelo de autosserviço. O primeiro supermercado brasileiro foi inaugurado em São Paulo e foi chamado de “Tecelagem Paraíba”.
1953
1966
Inauguração do primeiro shopping center do Brasil: o shopping Iguatemi, em São Paulo.
1966
1990
Aumento na automatização das lojas e o surgimento do EDI (Electronic Data Interchange), do ECR (Efficient Consumer Response) e dos códigos de barra.
1990
1995
A conexão com a internet para fins comerciais no Brasil é liberada pelo Ministério das Comunicações. A partir daí é o começo do e-commerce no Brasil.
1995
2000
Surgimento da Banda Larga no Brasil e fortalecimento do e-commerce brasileiro.
2000
2013
Plataformas online e offline passaram a funcionar de maneira complementar: o conhecido varejo omni channel.
2013

Com todas essas mudanças, conseguimos reparar que os processos do varejo foram acontecendo ao mesmo tempo em que acontecia o surgimento da Colônia no país e sem dúvidas, essa ação varejista foi um do pilares para as mudanças que aconteceram com o passar dos anos em todas as áreas da sociedade, do comércio e da indústria.

O varejo é um dos ramos que se mostra capaz de incorporar de maneira rápida e eficaz às mudanças tecnológicas que leva cada vez mais o setor a recriar-se continuamente para atender demandas tanto de consumidor final, quanto demandas de quem vende.

E com a tecnologia sendo aprimorada progressivamente, muita coisa está mudando, inclusive as formas de comprar, tanto na experiência para o comprador quanto para quem está vendendo. Nós separamos as maiores novidades do mercado, o que foi febre e o que promete ser tendência nos próximos anos

Principais setores do varejo no Brasil

Sabemos que cada setor como agropecuário, industrial e trabalhos variados têm seus pontos fortes e fracos, além de terem suas próprias características individuais. Com o varejo e comércios não seria diferente.

Dentro do setor de varejo no país existem vários segmentos que fazem parte do mercado. Esses segmentos correspondem ao que nós conhecemos como lojas e cada uma dessas lojas possui uma fatia específica de negócios do mercado.

• Hiper e Supermercados• Material de construção• Artigos médicos
• Produtos alimentícios• Artigos de uso pessoal e doméstico • Livros
• Bebidas• Automóveis e motocicletas• Móveis
• Fumo• Equipamentos e materiais para escritório• Calçados
• Combustíveis e Lubrificantes• Artigos ortopédicos• Jornais
• Tecidos• Artigos de perfumaria• Revistas 
• Eletrodomésticos• Informação e comunicação• Papelaria
• Vestuário• Artigos farmacêuticos 

Varejista, fique atento!

Quem possui um comércio varejista dentro de um desses ramos de atuação precisa prestar atenção em alguns pontos básicos sobre as funcionalidades que essa área segue, nós elencamos alguns deles de acordo com os processo necessários para você conhecer um pouco mais sobre os aspectos de cada um deles.

Neste ponto algo importante que pode ser ressaltado é a qualidade dos produtos que você vai oferecer. Uma dica legal é fazer um checklist das coisas necessárias e imprescindíveis que os seus produtos precisam ter para não perder a qualidade e credibilidade do seu negócio.

Nessa parte a negociação é a palavra-chave para fazer um bom negócio. Você faz um levantamento e negocia com diversos vendedores e empresas para conseguir o melhor preço.

Tudo o que você comprou por um preço bem legal na hora da negociação precisa ser guardado até que acabe né? Por isso, você precisa proteger seu estoque para que os produtos estejam sempre nas melhores condições até o momento de oferecê-los aos clientes.

Essa é a área em que você promove o produto tanto para o mercado quanto aos clientes.

É aqui que você vai mostrar quais são as principais qualidades dos seus produtos e porque o seu cliente precisa comprar ele.

Além disso, é neste momento também que você vai dar todas as características do seu produto ao seu cliente, mostrando porque o seu é o melhor preço e porque ele não precisa ir comprar no seu concorrente.

Quanto mais fácil for para o seu cliente pagar o seu produto, melhor né? Afinal, é ele quem você quer agradar. Então, facilitar a compra deles  através de cartão de crédito, boleto e parcelamento é uma ótima opção.

Essa parte diz respeito a divisão das quantidades dos produtos que você possui em estoque de acordo com a demanda dos clientes, deixando esses produtos o mais próximo possível do que eles esperam encontrar no seu estabelecimento.

Além de tudo, é necessário que você planeje a logística de movimentação dos produtos que você vai vender ou já vendeu. O que está relacionado com a entrega executada pelo transporte, quais são os documentos necessários para o transporte e como ele vai ser feito.

Para sempre melhorar o atendimento a sua clientela você precisa levar em consideração as reclamações, sugestões, e todas as informações que os clientes expressam, seja sobre o produto, o preço e outros fatores do seu estabelecimento, para planejar planos de ação verdadeiramente eficazes para elas.

Agora que você já entendeu toda a história do mercado varejista, como ele acontece no nossa país e quais são os segmentos presentes nesse setor, nós temos outras coisas para lhe mostrar.

Os números do varejo no Brasil

Não é novidade que o mercado varejista sempre foi uma das partes mais afetadas quando falamos em termos de inflação e mudanças econômicas, mas de alguns tempos para cá o mercado se mantém estável e lucrando.

Inclusive, é o setor varejista um dos responsáveis pela maior fatia do PIB (Produto Interno Bruto) do país, ou seja, o setor que mais contribui para o crescimento dele.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), aplica mensalmente a pesquisa que se refere a este ramo no país.

A PMC (Pesquisa Mensal do Comércio) é responsável por produzir alguns indicadores importantes que possibilitam o acompanhamento e comportamento do varejo no Brasil, porque ela se baseia em dados de receita bruta de vendas em empresas que estão de acordo com as legalidades, através do CNPJ.

No entanto, um pré-requisito para fazer parte da pesquisa realizada pelo IBGE, é necessário que a empresa tenha 20 funcionários ou mais, com a principal atividade realizada sendo o varejo.  

A título de curiosidade, a PMC é foi criada e realizada pela primeira vez em 1995 no Rio de Janeiro, mas alguns anos depois, em 1997 se espalhou para as capitais do país e foi nos anos 2000 que ela começou a corresponder a todo território nacional.

Segundo dados da PMC, em pesquisa feita pelo IBGE, se compararmos o mês de novembro de 2018 ao mesmo mês do ano em 2017, é possível perceber que houve um aumento considerável de 4,4% em apenas um ano.

Isso mostra que o mercado varejista tem ganhado ritmo de crescimento previsto para os próximo anos, o que é torna um momento agradável para começar o negócio que você sempre teve vontade.

Além destes números mais atuais, em 2014, foi divulgada uma pesquisa também feita pelo IBGE que apontou a quantidade de empresas de cada setor no Brasil.

Nessa pesquisa, a maior quantidade de empresas faziam parte do setor varejista, com mais de um milhão e duzentas mil empresas. Pra sermos mais exatos, estavam com o CNPJ ativo, 1.297.912 empresas.

Já no atacado, o número foi expressivamente menor, com 197.950 empresas.

Receita operacional líquida (em mil R$) segundo o segmento do comércio Brasil - 2014

Número de empresas segundo o segmento do comércio (em mil) - Brasil - 2014

As maiores empresas varejistas do Brasil

Segundo o Ranking IBEVAR 2018, as cinco maiores empresas do varejo brasileiro, são:

R$ 48,4 bi

R$ 29,1 bi

R$ 28,1 bi

R$ 25,3 bi

R$ 20 bi

As mais admiradas em cada segmento são:

• Grupo Carrefour

• Extra

• Sam’s Club e Dia % 

• Walmart

• Atacadão

• Assaí

• Makro

• Roldão

• Maxxi

• Mc Donald’s

• Burger King

• Cacau Show

• Bob’s

• Magazine Luiza

• Casas Bahia

• Ricardo Eletro

• Ponto Frio

• Fast Shop

• Tok & Stok

• Etna

• Camicado

• Bartira

• Móveis Romera

• Panvel

• Drogasil

• Drogaria Onofre

• Pague Menos

• Drogaria Araujo

• O Boticário

• Eudora

• The Beauty Box

• Época

• Quem disse, Berenice?

• Leroy Merlin

• Leo Madeiras

• Telha Norte

• C&C – Casa e Construção

• Cassol

• Centauro

• Decathlon

• Saraiva

• Cultura

• FNAC

• Polishop

• Shoptime

• Submarino

• Ingresso.com

• Petlove

• Rihappy

• PBKids

• C&A

• Renner

• Riachuelo

• Marisa

• Petz

• Cobasi

• Lojas Americanas

• Havan

Como abrir sua empresa

E talvez você esteja interessado em entrar para o mundo do varejo e dos negócios que nós falamos até agora.

Que tal abrir sua própria empresa? Possuir a facilidade e o orgulho de ter seu próprio negócio e ganhar de quebra o título de empreendedor? Nós separamos algumas dicas de ouro pra você se dar bem!

Além disso, nós entendemos o quanto pode ser desgastante ir atrás de todos os documentos e validar tudo o que é burocrático, mas se você souber tudo o que é necessário reunir, vai ficar bem mais fácil.

Afinal de contas, quanto mais informação sobre o assunto você tiver, consequentemente mais autonomia para tomar decisões e certeza sobre qual caminho seguir você vai ter.

Nós não temos a fórmula do sucesso, isso porque ela não existe, mas podemos te ajudar a crescer cada vez mais, um degrau de cada vez para que você atinja seus objetivos.

E isso só depende de uma coisa:

A gente separou 10 dicas de ouro pra te ajudar a decidir e auxiliar a montar seu próprio negócio além de manter os lucros crescendo.

1. Saiba o que você quer fazer

Saber o que você quer fazer e o ramo que você quer seguir o primeiro passo para encontrar a ideia certa e revolucionária do mercado.

É bem legal e importante que seja algo você goste, mas o mais importante é que seja algo viável. Afinal, não adianta investir em mercados saturados ou modismos passageiros (hambúrgueres gourmet), porque você pode se decepcionar.

2. Faça uma pesquisa de mercado

É importante olhar para o mercado e como está a economia para você ter mais certeza se o seu negócio vai dar certo.

Procure sobre o assunto na internet, converse com as pessoas, com especialistas e empresários mais experientes se possível, também para ver onde estão os pontos fracos e fortes do seu negócio.

3. Tenha experiência ou, um sócio

Se você, futuro empreendedor, ainda não tem experiência na área em que deseja iniciar a empresa, uma boa dica é procurar um sócio, funcionário ou até mesmo uma consultoria que já tenha experiência no ramo em questão. Isso vai te ajudar a tomar decisões mais certeiras de mercado.

4. Entenda mais o que é regime tributário e como seu varejo se encaixa nele

Para abrir sua primeira empresa você precisa decidir qual será seu regime tributário.

Existem três regimes de tributação: o Simples (adequado para empresas menores, que faturam até R$ 2,4 milhões), o lucro presumido (para empresas médias ou de grande porte sem histórico de rendimentos, ou seja, que estão começando) e o lucro real (para empresas que devem apresentar lucros baixos ou inexistentes nos primeiros meses).

O ideal é que você procure o auxílio de um contador para tomar a melhor decisão para o seu empreendimento.

5. Pense no seu plano de negócios

Saber como você vai atuar, quais vão ser as funções de cada funcionário é fundamental. Começar uma empresa sem um bom plano de negócios é o primeiro passo para o fracasso.

Para que isso não aconteça com a sua empresa, é importante você definir toda a estrutura operacional da empresa, criando um plano financeiro detalhado para saber sobre o total do seu investimento.

Além disso também é importante ter um planejamento de marketing, para entender identificar qual vai ser seu público-alvo e identificar qual é a melhor estratégia de venda e de mercado.

6. Atenção aos documentos exigidos pela lei

O primeiro passo para regularizar a sua empresa é o contrato social. Nele estão todas as informações referentes ao tipo de empresa, capital social, a relação entre os sócios e a divisão de lucros.

Para agilizar o registro do seu contrato, você pode procurar o sindicato da categoria e ver se existe um posto avançado da junta comercial, para já começar com todos os documentos certinhos e não ter dor de cabeça depois referente a legislação.

7. Planejamento financeiro

A gente já falou sobre o planejamento financeiro antes, mas é fundamental nos aprofundarmos um pouco mais nele.

Ainda antes de abrir sua primeira empresa, calcule todos os gastos que você vai ter para evitar surpresas desagradáveis no futuro.

É primordial considerar todos os custos fixos e variáveis, e também não esqueça do fluxo de caixa, pois pode demorar alguns meses pro seu negócio engrenar.

8. Escolha um bom contador

O dia a dia de uma empresa é repleto de detalhes importantes e somente um contador qualificado pode lhe dar o auxílio necessário. Faça uma pesquisa vasta, peça por referências e não esqueça de sempre fazer uma pesquisa do registro do profissional no Conselho Regional de Contabilidade – CRC.

9. Separe as finanças pessoais e da empresa

Uma dica é estipular um salário para o proprietário, que deverá ser retirado juntamente como o pagamento dos funcionários. Evitar retirar dinheiro fora das datas pré-fixadas para o pagamento e manter bem estruturado o controle financeiro da empresa também são tarefas importantes.

10. Escolha o imóvel e licenças

A escolha do imóvel deve levar em consideração o público-alvo do estabelecimento, bem como a oferta de serviços similares.

Na hora de fazer o contrato de locação, o mais adequado é pegar um prazo maior, de cinco anos. Um contrato de apenas um ano pode trazer problemas na hora da renovação.

Nessa hora é essencial conferir o Habite-se da propriedade. Quando a empresa já tem todos os documentos, como contrato social, CNPJ, inscrição e zoneamento, é possível conseguir um alvará de funcionamento.

Como fazer a gestão do seu varejo

Agora, que você já reuniu todos os documentos necessários e abriu seu comércio varejista, você vai precisar fazer a gestão do seu varejo, não é mesmo? Afinal, não queremos que o nosso sonho de empreendedor vá por água abaixo.

E o que vai te ajudar muito nessa etapa é o planejamento inteiro que você fez, o mercado que você estudou antes de abrir de fato o seu negócio. Sem dúvidas ele será o seu maior aliado.

Mas além deles, você também tem outros aliados, neste caso, são as pessoas que podem te passar algum conhecimento para facilitar cada vez mais a gestão da sua empresa. Nós também separamos pessoas-chave que você precisa conhecer.

No entanto, nós também temos algumas dicas incríveis para você saber por onde começar, e já entender o suficiente do que é gerir uma empresa para depois, entender qual é o pensamento desses influenciadores do empreendedorismo.

Financeiro 💵

Talvez o financeiro seja onde nós, empreendedores precisamos ter o maior cuidado, aliás, este é o setor referente por agrupar todos os lucros e custos da nossa empresa, não é verdade?

O ambiente financeiro diz respeito à inúmeras contas necessárias que estão diretamente ligadas com o seu varejo.

E para que você consiga melhorar cada vez mais a gestão financeira do seu comércio varejista, existem algumas alternativas de controle.

E pra deixar tudo em dia, a dica mais eficaz e simples é relatar/anotar todas as suas transações, como:

  • Contas a pagar
  • Contas a receber
  • Tudo o que entrou ou saiu do seu comércio

Assim fica fácil saber até quando você precisa realizar o pagamento, ou qual o valor, fornecedor, dados bancários etc

  • Redução de custos
  • Segurança de dados
  • Inforações de confiança
  • Sistema ERP

Vendas 💰

Vender é o ponto base de um comércio varejista, e por isso prestar atenção no que você está vendendo é importante.

E um dos pontos principais para quem abre ou deseja abrir um negócio no varejo é a precificação dos produtos, ou seja, o preço que você dá ao que você vai vender.

Muitas vezes precificar algo pode ser complicado, acabam surgindo algumas dúvidas ao longo do caminho e ao que diz respeito a cada um dos itens, mas nós podemos esclarecer algumas delas, vamos lá?

Como precificar um item

A primeira parte que você precisa levar em consideração é a questão: “o preço que eu estou colocando cobre o quanto eu paguei por ele?”. Ou seja, o cálculo base precisa incluir as despesas variáveis + os custos fixos + o lucro líquido em cima da venda.

Existem alguns fatores que podem influenciar na hora em que você vai definir o preço dos itens que vão ser vendidos no seu varejo, por exemplo:

  • A existência de produtos substitutos a preços mais vantajosos;
  • A demanda esperada do produto;
  • O mercado de atuação do produto;
  • O controle de preços impostos pelos órgãos governamentais;
  • Os custos e despesas de fabricar, administrar e comercializar o produto;
  • Os ganhos e perdas de gerir o produto.

Mas lembre-se, não se pode basear apenas nos dados internos do seu empreendimento, é preciso olhar o mercado e, se mesmo assim o preço do seu produto for um pouco mais alto que o dos seus concorrentes, é importante você ter uma estratégia de vendas que mostre ao seu cliente porque o seu produto é melhor e porque ele pagar a mais vai ser bom para ele.

Para entender mais sobre como precificar um produto do seu varejo, você pode acessar esse post bem legal que te ensina tudo sobre isso!

Agora que você já sabe tudo sobre os preços a dar para os seus produtos, mas ainda assim precisa alavancar suas vendas, temos mais algumas dicas pra você!

Só que é claro que não é possível ter sucesso e alcançar seus objetivos sem se esforçar, e no varejo não é diferente, mas calma!

Nós elencamos 5 dicas incríveis para que você consiga dar um up agora nas suas vendas, olha só.

Não da pra gente vender algo se não sabemos o que é não é mesmo? Fica muito mais difícil. Por isso conheça o seu produto e mostre ao seu cliente o valor que ele possui.

Pra ficar mais fácil, mostre quais as maiores qualidades que os seus produtos têm em relação ao concorrente e porque o seu cliente deve comprar o seu item, quais são os benefícios que ele vai ter.

A partir do momento que o seu cliente entender que ele não pode mais ficar sem o seu produto ele vai ser ver quase na obrigação de ter o que você está vendendo.

Muitas vezes as pessoas estão procurando por algo que não têm certeza do que é e das facilidades que tal produto dará ao seu cotidiano. É neste momento que você vai auxiliá-lo a buscar uma solução para o problema com o seu produto de acordo com a necessidade de cada cliente.

Nada mais chato do que querer comprar algo e a empresa não colaborar para efetuar a venda não é mesmo?  

É extremamente importante que você e sua empresa consigam se moldar ao que o seu consumidor espera e precisa, quanto mais facilitado o acesso a compra, mais fácil fica a sua venda.

Tudo flui mais fácil quando temos estratégias e rumos para seguir, metas para alcançar. Logo, ao criar suas próprias estratégias de vendas, mas fácil vai ser de analisar o caminho que você está seguindo e mais fácil ainda vai ser de concretizar suas vendas.

Confiança é um dos laços mais importantes dos seres humanos. A partir do momento em que o seu cliente confia no seu produto e em você, fica mais fácil de realizar a venda dos seus produtos.

Seja o mais claro possível quando for mostrar a oferta ao seu cliente, é importante lembrar também de ser simpático sempre e se colocar à disposição para esclarecer as possíveis dúvidas.

Além dessas 5 dicas para o seu empreendimento, existem algumas outras dicas que são simples e você consegue conquistar seu cliente sem muito esforço. Uma delas é o famoso “mimo”, ou a famosa lembrancinha, que muitas vezes não lembramos de oferecer, mas que para o cliente, faz toda a diferença.

Com isso você já consegue melhorar suas vendas a partir de agora, é só colocar todas as dicas em prática!

Além delas, você pode conferir mais dicas e técnicas de como melhorar suas vendas aqui.

E para ficar mais fácil de controlar suas vendas, você pode usar uma planilha, e nada melhor do que começar com uma planilha gratuita, é só clicar aqui para baixar.

Estoque 📦

Nós já te mostramos como fazer a gestão financeira e de vendas do seu varejo e sabemos que quem tem um varejo, na maioria das vezes tem ou precisa ter um estoque, e é necessário fazer sua gestão, para que um produto muito requisitado não falte na sua prateleira né?

Existem alguns aspectos básicos que você precisa ficar atento no que diz respeito ao seu estoque, isso porque uma boa organização do seu estoque também pode te ajudar a reduzir custos.

São três as principais funcionalidades de um controle de estoque eficiente em um varejo.

Registro

Fiscalização

Gestão

Todas elas se referem à entrada, saída e permanência do produto no estoque do seu varejo.

Se o seu varejo comercializa produtos com prazo de validade, você também precisa ficar atento à eles, não da pra vender produtos estragados não é?

O registro se refere a tudo que classifica um item. Das coisas mais básicas, como por exemplo tipo, cor e tamanho até as informações relacionadas à venda, como o preço de custo, ciclo de vida e outros.

A fiscalização  é basicamente o controle gerencial feito para evitar perdas e extravios. O que acrescenta também as responsabilidades tributárias da empresa com o governo.

E por fim, a gestão que é a análise de todos os indicadores envolvidos no processo para otimizar as operações e fornecer informações estratégicas sobre o setor.

Uma ótima forma de fazer o controle de estoque do seu varejo é através de algumas planilhas, você pode baixar uma delas aqui.

Não é só isso, como nós contamos anteriormente, fazer um controle de estoque inteligente no seu varejo é um passo importante para que você consiga diminuir custos, economizar gastos e investir em outros pontos do seu empreendimento.

Foi pensando nisso que nós desenvolvemos um e-book gratuito com tudo o que você precisa saber e fazer para ter um controle de estoque mais eficiente e eficaz. Você pode baixar ele DE GRAÇA aqui!

Além disso, tem gente que já está gerenciando cada vez melhor o seu estoque com o auxílio de um software, clique aqui e confira.

Estoque na nuvem ☁

Ainda falando sobre estoque, com o avanço da tecnologia já da pra controlar tudo online, sabia?

É o que tem sido chamado de estoque na nuvem. Fazendo o controle de estoque dessa forma você reduz custos, melhora a escolha de fornecedores, melhora o planejamento de vendas e integra o estoque com outras áreas.

Você consegue conferir cada uma dessas melhorias e muito mais nesse post epecial sobre o controle de estoque na nuvem e como o sistema Ecloud está contribuindo para a gestão e melhorias de empresas varejistas.

Orçamento 📃

E uma venda não é baseada apenas no ato final de concretizá-la, ela também tem como base os orçamentos necessários para analisar valores, a especificações dos produtos oferecidos e as quantidades em questão.

Ele é o primeiro documento quando vamos falar em venda, ou seja, o documento inicial antes da venda.

Ele é usado quando um possível cliente precisa saber o preço de alguns dos seus produtos para uma análise prévia.

É através dos orçamentos que você consegue identificar se existe um taxa de desistência de compra e até qual é essa taxa.

Essas percepções vão te ajudar a analisar os preços de mercado e identificar se os seus preços estão dentro dos preços competitivos da área.

Ter um orçamento é dizer ao seu dinheiro para onde ele deve ir, em vez de se perguntar para onde ele foi.

John Maxwell

O orçamento também é um modo de verificar a entrada e saída do seu dinheiro de forma estimada, mês a mês.

Esse documento também é importante para que você consiga perceber, por exemplo, quais são as melhores vantagens que seus fornecedores oferecem. Melhores preços, melhores características dos produtos e descrição do que vai ser vendido.

Hoje você já consegue integrar os seus orçamentos dentro de um sistema online, chamado de ERP, você pode entender um pouco melhor sobre o que é esse sistema clicando aqui.

Além disso, softwares assim permite que você integre toda a gestão da sua empresa e consiga gerar, enviar e receber orçamentos por ele mesmo. Muito mais fácil, sem papel acumulado e conseguindo guardar todas as suas informações em um só lugar. Legal né? Você pode começar um teste grátis agora, clicando aqui!

RH 👨‍💼

Manter a equipe do seu varejo motivada é uma dificuldade? Fazer com que seus funcionários tenham o melhor desempenho se tornou um desafio? Então você precisa ler isso!

Uma forma de motivar seus funcionários é mostrar pra ele, o valor que ele tem pra empresa e o quão importante é o seu trabalho. Pequenos gestos podem ajudar, como por exemplo, uma lembrança no dia do seu aniversário, ou no dia em que comemora anos de empresa, ou até em uma data especial.

Além disso, prestar atenção nos sinais que ele da, nas dicas que ele tem para te passar e nas coisa que ele tem a dizer também é importante, para que sua empresa possa crescer e melhorar em pontos específicos, que por vezes, apenas ele pode te dizer. Leve a sua opinião em consideração.

Ofereça cursos, treinamentos e valor educativo a sua equipe. Isso vai fazer com que eles entendam qual é o propósito da sua empresa e como eles podem contribuir para o crescimento.

Nós temos um vídeo super completo de como você pode fazer tudo isso da forma mais prática, olha só.

Play Video

Marketing 🎯

Uma das bases de fazer a gestão de uma empresa, seja ela grande ou pequena. De bairro ou multinacional, a divulgação dos produtos é talvez o começo de tudo.

Sabe aquela frase bem clichê “quem não é visto não é lembrado?, então, essa é uma das coisas que o marketing da sua empresa faz.

Mas engana-se quem pensa que é só isso. O marketing cria estratégias de venda para que você tenha mais lucro, venda mais e não estacione a sua empresa no tempo, permitindo que ela tenha a escalabilidade que falamos antes.

Existem inúmeros caminhos estratégicos que podem te fazer alcançar o sucesso, mas para isso eles precisam ser baseados nos quatro pilares principais do Marketing, os 4P’s, que são:

Preço

Praça

Produto

Promoção

Quando os quatro estão em equilíbrio podem promover muito a sua empresa e o sucesso é garantido.

O Marketing tem inúmeras funções, mas podemos dizer que as principais seriam:

  • Promover os itens do seu varejo
  • Fazer mais vendas
  • Entender o que a sua clientela fala
  • Decidir sobre algo antes da sua concorrência

O marketing no varejo busca entender quais são as vantagens que o mercado está oferecendo e também quais são as tendências de consumo, para onde estamos caminhando.

Além disso, essa área da gestão da sua empresa é responsável por vender apenas para o consumidor final, ou seja, a última pessoa que compra o seu produto.

Se você quer entender muito mais sobre como fazer a gestão de uma marca, nós temos um ebook grátis especialmente pra você, é só clicar!

Dificuldades do varejo

Concorrência no varejo

Uma das grandes dificuldades desse setor em todo o mundo é a concorrência acirrada e forte e por muitas vezes não se sabe o que fazer, quais atitudes tomar e como se tornar inspiração em vez de concorrente.

É importante você ter a visão de que sempre precisa estar à frente da concorrência. Esse é um dos principais pontos que estão ligados aos crescimento dos  comércios varejistas.

É necessário que você preste atenção nos seus concorrentes para saber quais coisas você não deve fazer de jeito nenhum, porque não é uma boa ideia para o mercado, e não é necessário que você insista no erro dele, não é mesmo?

Mas, também é necessário ficar ligado nas coisas boas que ele está fazendo. O que tem dado certo, quais os pontos fortes do negócio dele.

Inclusive, também é legal prestar atenção nas datas de promoção, leve mais em consideração o seu cliente e não o seu concorrente, afinal, é o seu cliente que importa.

O nosso concorrente também pode ser nosso melhor aliado, no entanto, é preciso saber prestar atenção nos detalhes, nos pontos fracos e fortes dele e usar isso ao seu favor, mas não esqueça-se de prestar atenção no seu negócio, em formas de se diferenciar, olha só.

Fique atento ao seu concorrente, mas não deixe de cuidar do seu negócio, do seu empreendimento e do seu varejo. Lembre-se, o seu cliente é a pessoa que vai comprar os seus produtos.

Existem formas super eficazes de você conseguir fazer a análise mais completa e certeira da sua concorrência, clica aqui e nós te contamos tudo!

Departamento pessoal

Lidar com outras pessoas não é a coisa mais fácil do mundo, mas convenhamos que também não é um bicho de sete cabeças.

A dificuldade de achar profissionais qualificados para respectivos cargos é algo que assombra muitas empresas, no entanto, é necessário que a vaga não esteja solicitando muito do seu candidato e oferecendo pouco para a função. É necessário que haja um equilíbrio em ambas as partes.

Além disso, muito do que se espera de um funcionário hoje é qualidade e um bom currículo, no entanto, é preciso sair do “mundo ideal” e olhar para a realidade. Oportunizar quem está começando e oferecer o treinamento necessário para que o funcionário se destaque e seja feliz dentro da sua função.

E por falar em treinamento, essa provavelmente é a palavra-chave quando nós falamos em departamento pessoal.

Além de valorizar o funcionário, os treinamentos são essenciais para dar bagagem para ele e incentivá-lo a fazer o melhor trabalho possível dentro do seu varejo, até porque quanto mais conhecimento, mais rápida vai ser a sua tomada de decisão quando não tiver a quem recorrer.

Além disso, depois dos treinamentos e evolução do seu funcionário existe outro ponto no departamento pessoal que são os feedbacks.

Inclusive, também é legal prestar atenção nas datas de promoção, leve mais em consideração o seu cliente e não o seu concorrente, afinal, é o seu cliente que importa.

Os feedbacks são uma forma de que você entenda quais são as dores e anseios do seu colaborador. É através destes feedbacks que você vai conseguir dar um direcionamento ao que o seu funcionário busca para a vida profissional e pessoal e também alinhar com os objetivos da empresa para que os dois caminhem juntos em prol do crescimentos e aperfeiçoamento de ambos.

Retribua seu colaborador pelo bom trabalho. Quanto mais motivado seu colaborador estiver, menos ele vai querer sair da sua empresa e cada vez mais ele vai fazer o possível para que os ganhos sejam cada vez maiores. Tanto na qualidade de vida dentro do seu varejo quanto nos ganhos de lucro, financeiramente falando.

Futuro do varejo

Nós sabemos e entendemos que os tempos estão mudando, e por isso o mercado varejista também.

É uma espécie de seleção natural do varejo, quem não de adapta às novas tecnologias acaba não conseguindo continuar no ramo de atuação.

Inclusive, é necessário se atualizar sempre quando o assunto são as novidades no mundo da tecnologia para o varejo.

É claro que com a evolução da tecnologia, algumas coisas com certeza acabam mudando, como por exemplo o lugar em que você faz os registros das suas vendas, antigamente, era tudo a mão, e isso foi evoluindo passando para planilhas no computador e também para sistemas ERP.

Muita coisa ainda promete mudar com o tempo no comércio varejista e olhar para o passado é importante, olha como as coisas já mudaram.

Conseguimos perceber isso nas nossas próprias ações na hora de comprar, por exemplo, antes você muitas vezes ia até uma loja, olhava todos os produtos, esperava alguém lhe atender para ajudar no processo de escolha e efetuar a compra de fato.

Hoje nós já conseguimos perceber algumas mudanças como o processo de escolha do cliente.

Muitas vezes os possíveis clientes começam a escolher os produtos na internet, procurando o que deseja em vários sites diferentes, opiniões de quem já comprou, custo benefício e outros inúmeros requisitos que precisam ser observados com mais calma.

Conforme o mercado varejista e as tecnologias evoluem, a competitividade de mercado e a concorrência aumentam também, e é natural.

Existe uma pesquisa feita pela PwC, uma empresa especializada em fazer pesquisas, auditoria e consultoria tributária que mostra diversos números e ajudam ao oferecer uma orientação de como crescer e se diferenciar em um mercado que está cada vez mais competitivo.

Tecnologia no Varejo 🏪

Estamos vivendo os novos tempos da tecnologia, o século XXI, o que foi esperado por muito tempo.

A ideia e o desejo de ver carros voadores no tempo em que vivemos hoje e talvez até ter um, era algo que nossos pais e avós sonharam um dia.

Agora nós vemos que isso ainda não se tornou realidade, mas muitas coisas já mudaram.

Hoje nós conseguimos até comprar pela internet, temos acesso à várias características dos produtos que queremos adquirir, como por exemplo as fórmulas, ingredientes, peças… Que evolução não é mesmo?

Por isso, nós separamos o que há de mais inovador e criativo no mundo varejista para que você possa ter uma outra visão de como fazer uma venda diferente e alavancar o seu negócio com ajuda das novas tecnologias.

Internet das coisas - como ela impacta o varejo? 🤔

Você já pensou em conectar tudo a internet? Poder monitorar todos os eletrodomésticos, luzes, ar condicionado da sua casa pela conexão com a rede… isso já está se tornando realidade e tem sido chamado, aqui no Brasil, de Internet das Coisas.

Na teoria e na prática, a Internet das Coisas se refere a conexão com a internet de inúmero aparelhos e objetos que há um tempo atrás nós nem imaginávamos que poderia ser possível, mas está se tornando possível e revolucionando alguns setores do mercado. Um desses é o do varejo.

Imagine que você está andando tranquilamente na rua quando é abordado por alguém entregando panfletos sobre alguma promoção ou até mesmo uma cartilha com preços de determinados produtos, você não queria ver não é mesmo?

Agora imagine que você sempre faz o mesmo trajeto todos os dias para ir para à aula, ao trabalho ou à algum lugar específico e através do GPS do seu smartphone algum toten lhe oferece ofertas ou lhe mostrar exatamente o que você estava procurando na noite passada ou em um tempo atrás, seria bem melhor né?

A Internet das Coisas faz você ficar conectado à todos os aparelhos eletrônicos do mundo, através da rede.

Um outro bom exemplo são os corredores de supermercado. Imagine você entrar no mercado com sua lista de compras em mãos e através do seu smartphone receber as melhores localizações de produtos em promoção ou que vão te dar algum benefício. É isso que a internet das coisas pode fazer.

No varejo e comércios é possível ter prateleiras inteligentes, essas prateleiras vão poder informar em tempo real quando determinado item está começando a faltar, qual produto está sendo menos vendido (fazendo com que você precise fazer alguma ação de vendas, marketing ou uma promoção) e até mesmo quais são são os horários e dias específicos que um determinado item vende mais ou menos.

Integração de plataformas ⚙

Aqui, as coisas são realmente o que elas querem dizer. Essa integração se refere ao modo de como aliar a conectividade de aplicativos ao varejo.

Além disso, busca também se aliar a redes sociais e e-commerce, gerando grandes oportunidades de fidelização de clientes, além de claro, conquistar novas pessoas e ficar conhecido por outros lugares.

A busca pelo sucesso e por se diferenciar da concorrência está cada vez mais presente, no entanto, para ter de fato sucesso nas suas vendas e no seu negócio é necessário que você conheça o seu cliente e entenda a realidade onde ele está inserido.

Por isso, aproveitar o que de melhor as plataformas online tem a te oferecer é um caminho cada vez mais vantajoso, para quem vende e também para quem compra, sendo também a melhor forma de aumentar o seu negócio.

Entender a realidade dos seus consumidores é o principal ponto que você tem na hora de se diferenciar dos concorrentes.

Quanto mais integradas forem as suas redes sociais, maiores vão ser as possibilidades de que o seu cliente conclua a compra.

Mas lembre-se, com redes sociais a taxa de perguntas de preços e características dos seus produtos tendem a ser maiores, por isso, não esqueça de respondê-las, caso contrário, seu cliente pode acabar se frustrando.

Big Data 💻

As tecnologias de Big Data são usadas para fazer o controle de dados e informações relevantes em todos os aspectos.

Basicamente os sistemas de Big Data são reconhecidas por armazenar uma grande quantidade de dados.

Esse termo descreve o grande volume que acaba sobrecarregando dia após dia empresas tanto do varejo quanto de outros setores.

O Big Data não serve apenas para armazenamento, mas também para análises mais profundas, chegando a permitir insights significativos sobre como anda o seu negócio.

Com essas análises mais profundas você consegue tomar melhores decisões sobre as estratégias e ações que envolvem o seu empreendimento varejista.

Investir em Big Data significa obter muitas informações em questões de minutos que podem ser acessadas em qualquer hora, ajudando a tomar decisões de forma mais rápida e precisa.

É através do Big Data também que você consegue ver quais são os produtos que mais são vendidos, ou quais são os que permanecem por mais tempo no estoque.

E é claro que também é possível ver quais foram as perdas na parte financeira do seu comércio ou empresa.

Sistema de gestão online 🚀

Anteriormente nós te mostramos quais são as principais coisas que você precisa se atentar ao abrir uma empresa de comércio varejista, você já foi atrás dos papéis, da questões tributárias e todas as documentações necessárias.

Sua empresa já está lucrando, tendo contato com vários fornecedores e compradores, tenho certeza que sim, porque você também seguiu as dicas de como fazer a gestão da sua empresa.

Agora você precisa de alguma forma para conseguir descrever todas as entradas, saídas e tudo mais que você precisar registrar.

Existem inúmeras planilhas que podem te ajudar nessa função, mas convenhamos, com uma planilha é muito mais difícil integrar diversos fatores né? Por isso já existem vários sistemas online de gestão, que são extremamente seguros e que podem fazer a integração de vários setores da sua empresa, como por exemplo estoque, vendas, fornecedores, contas a pagar e a receber, sem falar também em geração de orçamentos, documentos obrigatórios exigidos pelo fisco e até existem alguns que fazem a integração com a sua conta bancária e com a sua empresa de contabilidade.

 

Nós já te mostramos também um desses sistemas que podem ser a solução dos seus problemas com vários números e tendo que fazer a gestão de vários setores diferentes.

Varejo na palma da mão🤳

O famoso mobile já é uma realidade que promete se tornar cada vez mais presente na vida dos consumidores.

E de uns tempos pra cá as coisas têm ganhado proporções enormes. A facilidade de fazer pagamentos pelo seu próprio smartphone, que está na palma da sua mão só fez com que as práticas de compra online aumentassem.

Além disso, com as vantagens oferecidas na hora da compra online ficou muito mais seguro realiza-lás online.

Sem falar é claro das facilidades que se tem ao comprar pela internet não é mesmo? Você pode voltar amanhã, depois e depois, até decidir de fato se é isso que você quer. Além de poder comparar preços com outras lojas e até outras marcas.

A tecnologia beacons 💓

Essa outra forma de tecnologia dentro do varejo permite ao comércio varejista e ao empreendedor fazer uma análise a circulação de clientes na sua loja.

Isso acontece por meio de conexão com os seus dispositivos móveis, ou seja, ele se conecta automaticamente com os smartphones dos seus clientes no momento em que eles entram na loja.

Esse aparelho funciona através da ativação do bluetooth de um celular que está dentro do seu estabelecimento.

Inclusive, através deste dispositivo é possível oferecer ao seu cliente as melhores promoções e ofertas do dia e do momento, além de guiá-lo aos melhores produtos, a fim de fazê-lo efetuar a compra no final.

Vale ressaltar que todas as informações enviadas para o celular do cliente são personalizadas pra ele, porque o dispositivo sabe exatamente em qual local ele anda, por quais prateleiras ele passa e quais os produtos que ele geralmente compra.

O dispositivo é chamado assim, pois na tradução para o português ele significa “faróis”. São esses faróis que captam os sinais transmitidos e permitem que você veja exatamente por onde o seu cliente está andando na sua loja.

Mas calma, eles não te monitoram se você estiver com o seu bluetooth desligado e também não tiver o app da loja em questão baixado no seu celular.

Varejo omnichannel é realidade 🎡

Essa vertente tecnológica que já está presente no varejo se refere e se baseia no significado de multicanal de busca por produtos, que como já mencionamos, antes era feita indo de loja em loja e hoje já pode ser feita totalmente online.

No entanto, esse tipo de tecnologia não se refere apenas à buscas e migração do real para o virtual.

O varejo omni-channel também se refere a integração de plataformas, tornando o processo de experiência de compra diferenciado.

Isso porque dessa forma são integradas plataformas como o blog da marca do produto, o site corporativo, os outros sites de busca, as redes sociais e até os aplicativos de mensagem.

Já se sabe que os clientes utilizam diversos locais para fazer as buscas dos produtos que gostariam de comprar e com as estratégias omni-channel, a otimização de tudo isso fica mais simples e faz com que você apareça em todas elas.

Self-checkout é uma aposta para o futuro do varejo 📟

Você pode nunca ter ouvido falar nesse termo, no entanto ele tem se tornado cada vez mais comum, tanto no exterior quanto aqui no Brasil.

Esse sistema permite com que o cliente possa validar sozinho a sua compra em mercado, farmácias, restaurantes e diversos comércios varejistas.

O caixa não tem uma pessoa que fica a frente dele, é você apenas, e o que já é um tanto quanto popular nos outros países agora passou a se tornar popular também aqui no Brasil.

Esses terminais além de facilitarem a questão de filas nos lugares ainda fazem todo o processo de compra dos produtos ficarem mais rápidas, fazendo a leitura dos produtos no seu tempo e também o pagamento deles na sequência.

Os chamados de self-checkout são então o que podemos entender como terminais de autoatendimento.

Alguns supermercados já têm adotado a ideia, no entanto, ainda precisam ser um pouco aperfeiçoadas para que o clientes entendam como fazer e concluir suas compras.

A tendência dos self-checkouts é crescer cada vez mais em todo o país, facilitando cada vez mais a vida de todo o setor de varejo, do varejista e também do cliente.

Top Startups que impactam o varejo

Em 2018 o LinkedIn realizou uma pesquisa das 25 startups mais desejadas no Brasil. A pesquisa reuniu startups de todos os segmentos, baseadas no crescimento do número de funcionários, engajamento, interesse em empregos e atração dos melhores talentos.

Para que você entenda melhor, uma startup inovadora tem a capacidade de fazer alteração na vida e no modo de trabalho das pessoas, transformar indústrias e gerar alguns fluxos de talento por todo o mundo.

Na pesquisa do LinkedIn, as empresas precisavam ter no máximo sete anos de mercado e pelo menos 50 funcionários. Além de ser uma empresa privada e é claro, ter sede no Brasil.

Nós retiramos as 10 empresas que influenciam de alguma forma o ramo varejista do Brasil.

Categoria: Serviços financeiros

O que faz: Empréstimos com juros baixos

Funcionários: 468

Sede: São Paulo 

Categoria: Tecnologia de informação e serviços

O que faz: Aplicativo gratuito de controle financeiro

Funcionários: 192

Sede: São Paulo

Categoria: Pagamentos

O que faz: Maquininha de cartões

Funcionários: 1954

Sede: São Paulo 

Categoria: Serviços de Transporte

O que faz: Conecta os motoristas de caminhões com empresas e aumenta a eficiência do transporte

Funcionários: 250

Sede: São Paulo 

Categoria: Serviços para Motoboys

O que faz: Serviço de entrega rápida feita por motoboys, incluindo documentos, produtos e também alimentos

Funcionários: 380

Sede: São Paulo

 

Categoria: Programa de afiliados para produtores digitais

O que faz: Essa empresa colabora com as pessoas que criam, distribuem e vendem conteúdos online

Funcionários: 315

Sede: Belo Horizonte 

Categoria: Entrega de encomendas e fretes

O que faz: É uma outra geração de empresa logística que tem usado a tecnologia para aumentar a eficiência frente à outras empresas.

Funcionários: 102

Sede: São Paulo 

Categoria: Sistemas Financeiros

O que faz: Voltada para o sistema de cashback, que devolve aos consumidores parte de compras realizadas em locais parceiros.

Funcionários: 427

Sede: Ribeirão Preto

Categoria: Tecnologia da informação e serviços

O que faz: É uma plataforma de compra e venda das famosas criptomoedas

Funcionários: 102

Sede: São Paulo 

Categoria: Serviços financeiros

O que faz: Ela desenvolveu soluções online que facilitaram a cobrança de assinaturas e pagamentos recorrentes. Permitindo ao cliente  a escolha do banco de preferência.

Funcionários: 100

Sede: São Paulo

Cases de Sucesso

Agora que você já entendeu cada parte de um comércio varejista e como você pode fazer parte desse grupo incrível de pessoas empreendedoras e trabalhadoras, ser seu próprio chefe, fazer uma gestão incrível e eficiente da sua empresa.

Além de conseguir obter os melhores resultados e lucros, fazendo com que sua empresa cresça cada vez mais, você pode ver algumas histórias de sucesso que usam o Myrp para alavancar os negócios da sua empresa.

Play Video

A Miriam Custódio, é dona da Folha Verde, um comércio varejista voltado para a venda de roupas e vestuário. Ela já está no mercado a mais de 20 anos e já usa o Myrp a algum tempo, e vê nele a facilidade de poder acompanhar o que está acontecendo na sua empresa, sem precisar estar no local.

Play Video

O Jefferson Melo, é o empreendedor responsável e dona da São José Celulares, e viu que precisava de um software específico para estar dentro das obrigatoriedades exigidas pelo fisco, como por exemplo, a de geração de nota fiscal.

Dicas Incríveis!

Influenciadores da área 🗣

Camila Porto
Camila Porto@camilaporto.com.br
Read More
É uma empreendedora que trabalha no mercado de produtos de informação. Além de ser autora do livro “Facebook Marketing: Como gerar negócios na maior rede social do mundo” e ministrar treinamentos sobre Facebook Marketing e Marketing Digital.
Erico Rocha
Erico Rocha@rochaerico
Read More
Segundo a InfoMoney, o principal especialista de Marketing Digital para pequenos negócios online do Brasil. Seu canal de YouTube é indiscutivelmente um dos maiores canais focados em Empreendedorismo Digital.
Geração de Valor
Geração de Valor@geracaodevalor
Read More
É um site que promove o empreendedorismo através da construção de uma mentalidade vitoriosa, o que é chamado de "pensar fora da caixa”​, para contrariar as estatísticas e o fluxo natural que a sociedade segue.
Geronimo Theml
Geronimo Theml@geronimotheml
Read More
Professor há mais de 19 anos, Coach, fundador do Instituto Geronimo Theml de Coaching e Desenvolvimento Humano (IGT), palestrante internacional e escritor best seller da Revista Veja com o livro “Produtividade Para Quem Quer Tempo”.
Gustavo Cerbasi
Gustavo Cerbasi@gustavocerbasi
Read More
É consultor financeiro especialista em inteligência financeira. Autor de 15 livros, incluindo “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”, que deu origem à trilogia “Até que a Sorte nos Separe”, Cerbasi é considerado a maior referência brasileira em educação financeira.
Nathalia Arcuri
Nathalia Arcuri@nathaliaarcuri
Read More
Fundadora do Me Poupe!, primeira plataforma de entretenimento financeiro do mundo, também desejava tudo isso.
Previous
Next

Filmes 🎥

Jerry MaguireVeja o trailer
Read More
A rotatividade do colaboradores é se não, uma das maiores dificuldades do setor varejista. Isso pode acontecer por causa de uma possível falta de motivação com o trabalho. Por isso, uma lição importante que o filme traz é a importância de definir metas e como elas podem tornar os colaboradores mais engajados ao trabalho.
De ponta em pontaVeja o trailer
Read More
O filme deixa claro o dever dos varejistas têm em ouvir e também identificar as necessidades dos seus clientes, que os mesmos muitas vezes deixam de falar ou expressar de uma forma mais clara.
O lobo de Wall StreetVeja o trailer
Read More
O longa-metragem mostra com a postura de Belfort como é importante conhecer os funcionários e entender que todo talento pode ser explorado e também transformado para um colaborador de sucesso quando há estímulos certos. Além disso o filme também mostra como é necessário ter foco para efetuar uma venda.
Joy: O Nome do SucessoVeja o trailer
Read More
É uma inspiração nos mais diversos desafios enfrentados por um empreendedor, desde a concepção da ideia do produto, a elaboração do modelo de negócio, a obtenção do apoio e suporte de familiares e amigos, a conquista de fornecedores e investidores, até os desafios do mercado de comercialização e enfrentar a concorrência!
Uma Loja muito louca
O filme é uma comédia que fala sobre um dia movimentado na vida de jovens preguiçosos, impulsivos e sonhadores que trabalham em uma pequena loja que está ameaçada de ser comprada por uma grande rede.
O Primeiro MilhãoVeja o trailer
Read More
Esta obra cinematográfica conta a história de um trapaceiro que se acha esperto, no momento em que ele resolve arrumar um emprego para que o seu pai lhe veja com bons olhos, no entanto, depois de um tempo ele vê que as coisas não são tão fáceis quanto parecem.
JobsVeja o trailer
Read More
O filme tem como ator principal o artista, Ashton Kutcher, e mostra como foi a vida de Steve Jobs, desde sua época hippie até a criação de uma das maiores empresa do mundo, a Apple.
À Procura da FelicidadeVeja o trailer
Read More
Esta é uma daquelas histórias que a gente vê, ou ouve e pensa “se ele conseguiu, eu também consigo”. Um homem que não tinha nada além de um filho pequeno para criar mostra no seu emprego com pouco salário que ele pode crescer na empresa mostrando persistência e trabalhando duro.
Fome de PoderVeja o trailer
Read More
O filme conta a história do pequeno negócio dos irmão Mc Donald’s que não tinham vontade de expandir, no entanto, um homem chamado Ray Kroc insistia na ideia de levar o negócio para os Estados Unidos.
Previous
Next

Séries 🎞

BillionsVeja o trailer
Read More
A série conta a história de um gestor bilionário fundo de investimentos e outro personagem que em uma campanha contra o capitalismo inescrupuloso.
SuitsVeja o trailer
Read More
Os jogos e negociações que acontecem em um escritório de advocacia são a parte principal da série. Os personagens mostram como poder e inteligência são usados para conseguir o que se quer.
House Of CardsVeja o trailer
Read More
Uma das séries mais premiadas da Netflix, conta a história de um homem que se tornou político e quer que conquistar o cargo mais alto americano e mais importante do mundo.
The OfficeVeja o trailer
Read More
O seriado é uma comédia que mostra o dia a dia de uma equipe que está dentro do escritório, mostrando as situações mais bizarras.
Previous
Next

Livros 📖

O poder do Hábito
O livro mostra como os hábitos podem afetar e transformar nosso cotidianos, nossas vidas. Isso tudo através de como eles funcionam.
Marketing 4.0 - Do tradicional ao Digital
Escrito por um dos que podemos chamar de ícone do marketing, Philip Kotler, traz todos os conceitos de Marketing 4.0, partindo do marketing tradicional até o digital, mostrando um passo a passo de como aplicá-lo nas estratégias de mercado.
Mindset - A nova psicologia do sucesso
O livro desenvolve o conceito de que como a nossa atitude mental pode ser extremamente crucial para o sucesso que queremos alcançar.
Quem mexeu no meu queijo?
O livro é uma parábola que deixa em evidência inúmeras verdades aprofundadas sobre mudança.
Faces do Varejo
Em tópicos, a obra conta detalhes sobre como o varejo evoluiu com o passar dos anos e histórias pessoais dos profissionais que são apaixonados pela área.
Organizações Exponenciais
O livro mostra quais são os padrões de empresas que alteraram o jeito tradicional de fazer negociações e registraram crescimento acelerado em pouco tempo.
Sonho Grande
A obra relata detalhadamente a trajetória e os bastidores de três empresários que estão a frente de grandes multinacionais e grandes marcas nos dias atuais.
Segredos da Arte de Vender
Livro básico que traz as principais técnicas para aumentar a eficiência de quem vende.
O Jeito Disney de Encantar Clientes
A abrangência do que podemos chamar de cultura Disney, que é uma das maiores empresas de entretenimento do mundo e como ela serve de inspiração para empreendedores e executivos.
Pense Simples
O livro aborda questões que são extremamente importantes para quem quer ser um empreendedor e inovar no mundo dos negócios, mostrando quais passos ele precisa dar e por onde começar.
Previous
Next