Compreendendo o MEI – Microempreendedor Individual

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    109266271
    Como falamos no post anterior, transformar seu talento em negócio pode parecer complicado. Quando nosso hobby começa a crescer, pensamos em expandir e levar nossa paixão a sério. Para isso, existe uma alternativa ótima que supre a necessidade de ter seu negócio próprio: o MEI – Microempreendedor Individual. As vantagens deste programa do governo é que você formaliza sua empresa com um pouco menos de burocracia. A vantagem é que o empreendedor tem seus direitos previdenciários e benefícios garantidos.
    Para se tornar um Empreendedor Individual, você precisa:

    • O faturamento total anual da atividade que é desempenhada por você deve ser de, no máximo, R$ 60.000 (ou R$ 5.000 por mês) no ano-calendário, entre janeiro e dezembro.
    • Quem trabalha em lugar fixo deverá ter a autorização da Prefeitura com relação ao tipo de atividade e ao local onde irá trabalhar.
    • Você não pode ser sócio, titular ou administrador de outra empresa. E, também, não pode ter filiais.
    • Você poderá contar com um empregado, que receba um salário mínimo ou o piso salarial da categoria profissional.

    E o valor?
    O interessante é que ao se tornar um Microempreendedor Individual você fica isento da maioria dos tributos cobrados. Não é necessário pagar uma taxa de abertura. A única taxa que você terá que se preocupar é um mensal de 5% do salário mínimo vigente. Nisso, inclui-se: contribuição previdenciária ao INSS, ICMS para o Estado, se a atividade for comércio ou indústria, ou R$5 de ISS caso seja prestação de serviço.  A forma de pagamento é por um carnê, emitido no Portal do Empreendedor.
    Benefícios:

    • Cobertura da Previdência Social para o Empreendedor e sua família;
    • Segurança para desenvolver seu pequeno negócio de forma legal;
    • Dispensa de formalidade escrituração fiscal e contábil;
    • Com o CNPJ, pode emitir notas e vender para outras empresas e para o governo;
    • Pode comprovar renda legal e financiar compras com acesso facilitado aos serviços bancários.

    Como faço para formalizar meu pequeno negócio?
    Antes de fazer o registro da formalização, consulte a prefeitura para saber se é possível desenvolver sua atividade no local (bairro, casa ou rua) que você deseja e se ela está de acordo com a legislação, especialmente a sanitária, que cuida da saúde pública, e a de uso e ocupação do solo, que protege e ordena o crescimento das cidades. Após isso, entre no site do Portal do Empreendedor e realize seu cadastro online.

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    Leia também

    Como emitir Nota de Saída: passo a passo definitivo

    O que você procura?

    Categoria

    Categorias

      Assine nossa newsletter

      Como emitir Nota de Saída: passo a passo definitivo

      Seja um parceiro Myrp.