Como fazer o planejamento tributário para prestadoras de serviço

    O planejamento de um regime tributário é um dos passos mais importantes para o sucesso de uma empresa, e também, uma das dúvidas mais comuns entre os empreendedores.

    Este artigo irá esclarecer dúvidas e apresentar as principais opções para micro e pequenas empresas.

    Confira!

    O Brasileiro tem um espirito empreendedor natural e por isso o Brasil ocupa o primeiro lugar quando o assunto é a abertura de novos empreendimentos.

    Somente em janeiro desse ano segundo dados do Serasa Experian, foram abertas 200 mil novas empresas e o setor de serviços, de acordo a levantamentos do SEBRAE, continua sendo o segmento mais procurado por quem quer empreender.

    A prestação de serviço vem crescendo e ganhando força entre os brasileiros, segundo pesquisas, pois apresenta variedades de negócios e oferece a possibilidade de o investimento inicial ser mais baixo.

    Isso se da pelas necessidades que o mercado vem apresentando, como a recuperação da economia mesmo em ritmo moderado, é no setor de serviços que a recuperação econômica está sendo mais visível.

    Por conta disso, se você está cogitando abrir um negócio neste segmento ou até mesmo legalizar a sua empresa, uma das etapas principais é o planejamento tributário, você já pensou nisso?

    Este assunto ainda gera bastante dúvidas entre os empreendedores, neste artigo vamos explorar as opções para micro e pequenas empresas e esclarecer tudo sobre planejamento tributário.

    COMO O PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO PODE AJUDAR NÃO REDUÇÃO DE IMPOSTOS

    Não é segredo que o nível de tributação sobre as empresas no Brasil é absurdo, chegando muitas vezes até a causar o cancelamento das atividades das mesmas.

    Todos os dias empresas quebram pelas elevadas dívidas fiscais dificultando e até mesmo desmotivando os empreendedores.

    Contudo, uma maneira de deixar os gastos menores e que poucas empresas aplicam é o planejamento tributário.

    Que se estruturado de forma correta proporciona vantagens em sua rotina de trabalho, como:

    REDUÇÃO DE GASTOS

    Essa é uma das questões mais importantes na vida da empresa, cortar gastos sem afetar a qualidade do serviço oferecido.

    Bom, se você ainda não cogitou os tributos, está aqui uma oportunidade.

    PARTICIPAÇÃO NOS GASTOS DA EMPRESA

    É muito claro que o Brasil explora as empresas quando o assunto é imposto.

    Reduzir qualquer valor dentro do seu negócio significa melhor competitividade e maior lucratividade.

    EVITAR PAGAMENTOS DESNECESSÁRIOS

    existem alguns tributos que são cobrados e que não são obrigatórios em certas situações.

    Tendo isso em mente na hora de realizar o planejamento é possível descobrir se há algum na sua empresa.

    Ficou claro que contar com um planejamento tributário traz muitos benefícios e até abre possibilidades para o seu negócio.

    QUAIS OS PRINCIPAIS REGIMES TRIBUTÁRIOS

    Escolher o melhor regime tributário é uma tarefa muito importante, isso porque cada empresa se encaixa melhor em uma forma de tributação.

    Poder economizar no pagamento dos impostos, pode ser muito benéfico e por esse motivo vale a pena analisar com calma as 3 formas de tributação existentes no Brasil.

    •         LUCRO REAL

    Lucro Real, para fins da legislação do imposto de renda, significa o próprio lucro tributável, e distingue-se do lucro líquido apurado contabilmente.

    Lucro Real é o lucro líquido do período de apuração ajustado pelas adições, exclusões ou compensações prescritas ou autorizadas pela legislação fiscal. A determinação do lucro real será precedida da apuração do lucro líquido de cada período de apuração com observância das leis comerciais.

    Algumas questões que se aplicam ao Lucro real,

    é obrigatória para empresas com faturamento anual acima de R$ 78.000.000,00, mas pode ser adotada por qualquer negócio que deseje.

    É mais caro para empresas com grande margem. Porém, ele permite a recuperação de créditos fiscais e a declaração de prejuízos. Pode ser uma opção conveniente para certos tipos de empreendimentos.

    •          LUCRO PRESUMIDO

    O Lucro Presumido é uma forma de tributação simplificada para determinação da base de cálculo do Imposto de Renda (IRPJ) e da Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) das pessoas jurídicas.

    As questões que se aplicam ao Lucro Presumido,

    limitado a empreendimentos que faturam até R$ 78.000,00 no ano-calendário ou quantia proporcional aos meses.

    É um lucro mais popular por ser uma opção relativamente econômica. Porém, caso sua empresa tenha uma margem de lucro menor do que a dada pelo cálculo não é atrativo.

    •          SIMPLES NACIONAL

    O Simples Nacional é o regime de tributação criado pelo governo, com o objetivo de simplificar o processo de arrecadação de tributos de empresas pequenas. Dessa forma, pequenos empresários podem recolher tributos municipais, estaduais e federais de forma conjunta.

    As questões que se aplicam ao Simples Nacional,

    o limite máximo de faturamento é de R$ 3.600.000,00 no ano-calendário, ou, equivalente proporcional à quantidade de meses.

    As empresas de serviço se beneficiam mais com o Simples por ser mais barato que os demais.

    Tendo em mente, agora de forma mais clara quais são os principais regimes tributários, separamos também algumas dicas que podem ajudar você a escolher o melhor regime para a sua empresa;

    O QUE LEVAR EM CONTA NA HORA DA ESCOLHA?

    Antes de qualquer decisão, é importante que seja feita uma analise para decidir qual formato de tributação se encaixa melhor no formato da sua empresa.

    •          Fazer um levantamento de dados;
    •          Analisar margem de lucro;
    •          Contar com um planejamento tributário;
    •          Analisar os créditos tributários;
    •          Gastos indiretos;

    Estudar todas as possibilidades de tributação nunca é demais, e fazer isso com a ajuda de um Contador é fundamental.

    A boa noticia é que se a sua empresa não se adaptar ao regime escolhido inicialmente é possível modifica-lo.

    O prazo é anualmente divulgado pela Receita Federal. Porém, na grande maioria das vezes, o prazo máximo dado é do último dia do mês de janeiro, no entanto fique atento!

    Seja qual for a mudança que você irá adotar, a realização da mudança é feita de forma semelhante em todos os casos, bastando solicitar ao seu contador para fazer o enquadramento no novo regime de tributação. 

    O contador é peça importante no planejamento tributário da sua empresa, mas tomar conhecimento sobre os regimes e estar informado sobre as leis e prazos é ainda mais importante para que assim sua empresa esteja sempre legalizada e operando de forma a economizar nos impostos.

    Não deixe de conferir!

    O que você procura?

    Categoria

    Categorias

      Assine nossa newsletter

      Teste Grátis

      Faça um teste grátis

      Exporte o XML das notas fiscais dos seus clientes

      Seja um parceiro Myrp.